Skip to content

Como funciona a produção de espermatozóides? Existe armazenamento?

1 de julho de 2011

A fertilização é a junção de dois gametas, feminino e masculino. O espermatozóide é o elemento fundamental para que o oócito continue sua divisão e finalmente forme o tão esperado embrião. Toda a produção do espermatozóide tem um nome, a Espermatogênese.

Tudo se inicia na vida intra-uterina, na quarta semana de gravidez, ocorre uma migração de células germinativas do embrião em desenvolvimento na  para a parte que será a futura região das gônodas. Ao se posicionarem lá, as células são chamadas de pré-espermatogônia, realizando muitas mitoses até o sexto mês de vida do bebê.

Na puberdade entre 13 a 16 anos essas divisões reiniciam. Essa etapa é realizada nas gônadas masculinas (testículos), composto por um emaranhado de tubos seminíferos. É neles que toda a produção acontece. Esses túbulos são compostos de células de sustentação, as células de Sertoli, e entre esse túbulos, ou seja no espaço intersticial as células de Leydig.

Agora chamadas de espermatogônias 46 XY, localizam-se na base do epitélio do túbulo seminífero, nas células de Sertoli. É uma cascata.  As espermatogônias, formarão mais espermatogônias (sempre possuindo reservas) por Mitose. Até crescerem e se modificarem em Espermatócitos I, iniciando a Meiose I, passando para Espermatócito II, iniciando a Meiose II e formando a Espermátide redonda.

A Espermátide sofre um processo de Espermiação, processo pelo qual a espermátide redonda passará por uma série de mudanças morfológicas e bioquímicas para se tornar um espermatozóide (Imagem acima).

Imagem Moore e Persaud, 1994 e 2004.

Esse processo todo demora cerca de 74 dias. Após a produção esses espermatozóides são levados ao Epidídimo. Consiste de dois orgãos longos, intensamente enovelado sobre si , que estão aderidos lateralmente a margem posterior dos testículos, sendo responsável pelo armazenamento e por fornecer substâncias para acentuar a fertilidade dos espermatozóides. Desempenhando a função de maturação, criando condições favoráveis para que os espermatozóides, imóveis quando nos túbulos seminíferos, se tornem móveis.

A célula de Sertoli é responsável por muitas funções além de sustentar a linhagem germinativa (espermatogênese), como  a formação de uma barreira hematotesticular impedindo o contato das células germinativas e o sangue, evitando o desenvolvimento de auto-anticorpos contra o epitélio germinativo, já que são as únicas células do corpo que realiza meiose. Essas células são controladas pelo FSH.

Gowdak, D.;Gowdak,L.H.,1989

A célula de Leydig  é responsável pela produção de hormônios sexuais maculinos, principalmente a testosterona, sendo esse hormônio responsável pela devenvolvimento das características masculinas secundárias estimulando folículos pilosos, glândulas sebácias e elaboração do sebo, aumento da massa muscular, ampliam laringe, desenvolve a massa óssea para que seja maior. Essas células são controladas pelo LH.

O Ducto deferente é a prolongação do Epidídimo, tem função de transportar os espermatozóides em direção a uretra, sendo também responsável por reabsorver aqueles espermatozóides que não foram espelidos.

Significados:

FSH- Hôrmonio Folículo Estimulante

LH- Hôrmonio Luteinizante

Ambos hôrmonios são liberados através do GnRH (Hôrmonio Liberador de Gonadotrofínas), e podem ser controlados por proteínas e estimulos aos testículos.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 205 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: