O que é o ICSI?

Hoje em dia o tratamento mais realizado dentro dos laboratórios de fertilização in vitro é o ICSI (Injeção intracitoplasmática de espermatozóide), devido a sua alta taxa de sucesso. É o processo pelo qual um único espermatozóide é colocado dentro do oócito e cultivado até chegar a fase de embrião.

O ICSI surgiu como solução para tratamentos com infertilidade devido a fatores masculino severos, ou seja, quando a concentração e/ou motilidade e/ou morfologia e/ou vitalidade dos espermatozóides está muito abaixo da normalidade, ou quando os espermatozóides são retirados direto do epidídimo/testículo por procedimentos cirúrgicos, sendo eles incapazes de entrarem sozinhos no oócito.

A utilização de outro tratamento dentro dos pocedimentos de alta complexidade seria a FIV (Fertlização in vitro) clássica, aonde os espermatozóides capacitados são colocados ao redor do oócito para que ocorra a fertilização “naturalmente” sem a ajuda de agulha de injeção (foto abaixo). As taxas de fertilização ou de formação dos embriões podem ser menores devido a barreira da fertilização do oócito, ou seja, o espermatozóide maduro deverá entrar sozinho no oócito.


Após a coleta dos oócitos (Punção Ovariana) , ocorre a verificação da maturidade dos mesmos. A injecão só é realizada quando o oócito se encontra no estágio maduro (Meiose II ou MII). A escolha dos melhores espermatozóides é feita juntamente através da morfologia e maturidade (PICSI). A injeção do espermatozóide no oócito acontece em um micromanipulador manuseado por embriologistas, e após esse acontecimento, esses oócitos são colocados em cultura em estufa de CO2 ou trigás (N, O2 e CO2). Esse é o DIA O da célula.

De 16-18 horas após a injeção é verificado a fertilização desses oócitos, através da formação dos dois pronúcleos (feminino e masculino), indicando que eles entraram em singamia, esse é o DIA 1 do embrião. Ainda neste mesmo dia, de 24-27 horas é realizada a checagem do estágio de duas células, chamado de clivagem precoce.

No DIA 2 do embrião temos a formação de 4 células.

No DIA 3 do embrião temos a formação de 8 células.

No DIA 4 do embrião temos a compactação dessas células.

No DIA 5 do embrião temos a formação do blastocisto, quando ocorre a separação do que será o futuro feto e a placenta.

A transferência ocorrem geralmente nos dias 3 e 5, mas pode ser realizada no dia 2 e 4 dependendo do desenvolvimento e eventualidades.Dia 4 costuma ser  a transferência de ciclos com embriões congelados.

Tranferência Dia 5 (foto abaixo):  Nem todos os embriões chegam neste dia como blastocistos, geralmente apenas os mais capacitados. Indicação: Para casais que possuem falhas nas tentativas de gravidez em tratamento de reprodução assistida ou que foi realizada a biopsia do embrião (PGD/PGS) para verificar alguma anormalidade cromossômica ou para mulheres com idade avançada ou mulheres com SOP (Sindrome dos Ovários Policísticos). Não existe diferença dignificativa nas taxas de gravidez entre os DIAS 3 e 5 de transferência embrionária. O dia 2 parece manter um taxa um pouco menor.

Existe diferença na qualidade do embrião, grau I, grau II, grau III e Grau IV; ou A,B C e D.

Por ser um tratamento caro,  instituições e clínicas especializadas tentam baratear os custos. O preço do tratamento vai depender de cada clínica e/ou instituição. Hoje existem tratamentos gratuítos pelo SUS em algumas instituições. Geralmente  clínicas particulares têm alguns programas que barateiam os custos em apoio com empresas de medicações como o projeto Acesso, do laboratório Serono e seus parceiros,  mas não são gratuítos.



Anúncios

13 pensamentos sobre “O que é o ICSI?

  1. Pingback: Congelamento, criopreservando a fertilidade. « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  2. Pingback: Congelamento de embriões é seguro? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  3. Pingback: Transferência Embrionária « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  4. Pingback: O que é fertilização in vitro? Como é esse tratamento? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  5. Pingback: Útero de Substituição ou Barriga de Aluguel, é permitido? Quando? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  6. Pingback: No que a morfologia oocitária interfere nos casos de ICSI? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  7. Pingback: Indução Ovariana para FIV/ICSI (Segunda Parte) « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  8. Pingback: Replanejar o Cotidiano Ajuda nos Tratamentos de FIV/IIU « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  9. Pingback: Sucessivas Falhas de Gravidez. Qual a solução? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  10. Pingback: Endometriose e Infertilidade « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  11. Pingback: Hiperestimulo Ovariano, o que fazer? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  12. Pingback: 10% das mulheres sofrem de depressão durante o processo de estimulação ovariana para FIV, diz estudo « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  13. Pingback: Cirurgia para obtenção de espermatozóides direto do testículo, como funciona? | Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s