Indução Ovariana para FIV/ICSI (Primeira Parte)

A cada ciclo, a mulher recruta diversos folículos para que somente 01 amadureça e seja liberado para as tubas uterinas. A indução ovariana controlada dentro dos tratamentos de fertilização in vitro consiste em recrutar o máximo de folículos bons e amadurece-los de forma igual para que se obtenha um maior número de oócitos maduros para a realização do FIV ou ICSI.

 

Hoje a quantidade de folículos é defendida dentro dos centros de reprodução humana, pois se busca o maior número de folículos bons, sem que haja a hiperestimulação que pode ser perigoso para a paciente. Hoje transferência é feita até quatro embriões, dependendo do caso de infertilidade/ número de tentativas/idade da paciente, podendo haver congelamento dos embriões sobressalentes, para um “não desejado” segundo ciclo do casal.

 

Hoje em dia as clínicas planejam a transferência de 01 ou 02 embriões em blastocisto. Essa fase do embrião é mais avançada e nem todos os embriões que estão em estágio de clivagem, ou seja, se dividindo do primeiro ao terceiro dia conseguem chegar a blastocisto, selecionando assim embriões com ótimo desenvolvimento.

 

A estimulação pode se inicia com o bloqueio da região que produz os hormônios naturais na mulher a cada ciclo menstrual, feita por um Agonista de GnRH, ou seja, deve haver um bloqueio hipofisário inicialmente e posterior indução com os hormônios FSH e LH, chamados de gonadotróficos. Ocorrendo o bloqueio, o endométrio e os ovários estarão prontos para serem estimulados. Alguns médicos usam o anticoncepcional como bloqueador, esperando assim a menstruação, após alguns dias.

 

O médico pode optar por duas estimulações, um protocolo longo ou um protocolo curto. Para os dois protocolos não existem diferenças estatísticas em relação às taxas de gravidez, apenas os dias e a utilização das medicações. Isso varia de médico e por muitas vezes do caso do casal.

 

É importante que o médico tenha o controle do seu ciclo e da estimulação.

 

Todo o tratamento é controlado por idas a clínica de tratamento para monitorar o crescimento dos folículos e do endométrio (camada mais interna do útero que receberá o embrião), através de ultrasson transvaginal A obtenção em torno de 8 a 10 folículos com tamanhos de 16 a 18mm  após 10 a 12 dias de estimulação é ótimo prognóstico.

 

Após um número bom de folículos maduros é marcada a punção ovariana, ou seja, a retirada dos oócitos para que o laboratório inicie a formação do embrião. Ao marcar a punção a paciente fará uso de hCG para romper esses folículos, ficando mais fácil a aspiração folicular.

 

Imagem lateral site Maternidade Dupla

 

Algumas mulheres são más respondedoras, por isso os médicos podem modificar a estimulação utilizando dosagens mais fortes em dias alternados também para tentar resgatar os poucos folículos produzidos.

 

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “Indução Ovariana para FIV/ICSI (Primeira Parte)

  1. Pingback: O que é fertilização in vitro? Como é esse tratamento? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  2. Pingback: No que a morfologia oocitária interfere nos casos de ICSI? « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  3. Pingback: Indução Ovariana para FIV/ICSI (Segunda Parte) « Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

  4. Pingback: Aplicação da Medicação para Estimulação Ovariana – Caneta Gonal-F | Dúvidas sobre Reprodução Humana Assistida para Pacientes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s