O Temido Hiperestimulo Ovariano. O que fazer?

Para que tratamentos de Inseminação Intra-Uterina e Fertilização in vitro sejam iniciados, o ciclo menstrual  é zerado e as induções ovarianas iniciadas através de medicações, que são indutores de crescimento folicular e endometrial afim de ter um número ideal de óvulos, para posterior recepção embrionária pelo útero.

Essa síndrome do hiperestimulo ovariano (SHO) é uma gravidade que pode acontecer quando existe a sensibilização do organismo da mulher pelas medicações utilizadas. Sua incidência é de 0,5%-4% em procedimento de alta complexidade (FIV/ICSI) segundo alguns autores.

Existe um perfil de mulheres que podem passar por uma hiperestimulação, assim o médico ginecologista especialista em reprodução humana pode  amenizar as doses para evitar ao máximo que a paciente passe por esta situação. São elas:

1.) Mulheres jovens (<35 anos) 2.) Baixa Massa Corpórea 3.) Síndrome dos ovários policísticos (SOP) 4.) Com episódios prévios de SHO 5.) Total de 15 ou mais folículos antrais, ou seja, a contagem dos folículos nos primeiros dias do ciclo, antes do início das medicações 6.) Altos níveis de hormônio antimülleriano.

Pode acontecer com mulheres que não possuem este perfil quando altas doses de gonadotrofinas (FSH e LH) são dadas a paciente, fazendo com que esta tenha uma elevação dos níveis de estradiol,  um número elevado de folículos  e de óvulos capturados.

A tão esperada gestação nessas pacientes é um risco maior ainda devido ao aumento de hCG produzido pelas células maternas. Nesses casos os embriões são congelados para que o caso não se agrave e seja controlado.

Essa síndrome é uma das mais sérias complicações em Reprodução Humana Assistida (RHA), representando um risco a vida nas formas mais graves da doença. Essa SHO pode ser classificada em leve, moderada e severa.

Nessas pacientes ocorre um acúmulo de líquido na cavidade abdominal que pode chegar a 1,5-1,7 litros devido a uma exsudação de fluido rico em proteína originárias do peritôneo e ovários. Em casos severos pode levar a Hipotensão, Diminuição do Fluxo Renal, Desconforto Respiratório,  Disfunção Hepática e Eventos Trombóticos.

O quadro clínico leve e moderado geralmente é resolvido de forma espontânea após duas semanas do HCG. O tratamento é cuidar do equilíbrio do corpo, controlando os sintomas.

Sintomas: Transitório desconforto no baixo abdômen, náuseas leves, vômitos esporádicos, diarreia com episódios eventuais e distensão abdominal.

Repouso, ingestão oral de líquidos, reposição Salina (Gatorades) e pesagem são indicadas. Em casos mais graves as pacientes são hospitalizadas para tratamentos endovenosos.

Sem dúvida, prevenir SHO deve ser um dos objetivos de qualquer estímulo ovariano, com avaliação prévia adequada, personalização dos estímulo e controles estritos da resposta ovariana a medicação que está sendo utilizada.

Anúncios

10 pensamentos sobre “O Temido Hiperestimulo Ovariano. O que fazer?

  1. Muito boa, é bom divulgar informações importantes, principalmente numa época em que na maioria das vezes usam a internet só para besteiras.
    Parabéns!!!!!

  2. ESTOU MUITO PREOCUPADA, TENHO UMA AMIGA QUE TA PASSANDO UM TRANSTORNO MUITO GRANDE COM ESSA SÍNDROME, ATUALMENTE ELA ESTÁ INTERNADA NUMA SEMI-UTI, PARA TRATAMENTO, MAS ATÉ AGORA NENHUMA RESPOSTA FAVORÁVEL, JÁ FORAM FEITAS 3 PUNÇÕES SENDO QUE NO TOTAL FORAM RETIRADOS 9 LITROS DE LÍQUIDO DA CAVIDADE ABDOMINAL, ELA TAMBÉM JÁ TEVE DERRAME PLEURAL, SENDO RETIRADO 2 LITROS DE ÁGUA, A FAMÍLIA JÁ ESTÁ DESESPERADA PENSANDO NO PIOR, ELA NÃO CHEGOU A FAZER A TRANSFERÊNCIA POIS OS SINTOMAS APARECERAM LOGO APÓS A RETIRADA DOS ÓVULOS. ESTAMOS MUITO TENSOS COM TODA ESSA SITUAÇÃO, SEM SABER O QUE PODE ACONTECER COM ELA.

    • Querida Scheila,
      Obrigada por compartilhar essa angústia. Esta complicação pode ser amenizada quando a indução for bem monitorizada e as pacientes de maior risco (jovens, magras ou com ovários policísticos) forem monitorizadas. Mesmo sob orientação de médicos especialistas experientes, essa complicação pode acontecer inesperadamente e também imprevisivelmente em algumas pessoas. As crises costumam durar dias e o tratamento é esse mesmo.
      Força para a família e para você.

  3. Tive essa sindrone e retiramos os liquidos por duas vezes, sendo um total de 4 litros.
    Não tenho mais liquidos no abdomen porem um dos ovários não diminui o tamanho, estando com 9cmx8cm, volume de 399.
    Os medicos dizem para ficar de repouso que vai diminuir naturalmente e que não tem remedio pra isso. Graças a Deus a FIV teve sucesso e estou com 11 semanas, porem ha o receio de torcer o ovario, então repouso absoluto e conviver com as dores. Alguma orientação?

    • Olá Gil,
      Que boa notícia.
      O repouso é fundamental e se ocorrer muita dor/possível aborto o médico te receitará algumas medicações para tentar estabilizar o útero e assegurar desenvolvimento do feto. Mas 11 semanas á é uma ótima notícia.

      Boa sorte com tudo e parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s