Zika Vírus e Gestação

BebeUm assunto que está rondando todo o país é a incidência do zika vírus (ZV) na população geral, principalmente em gestantes e sua relação com a microcefalia.

Mais uma preocupação para nossas tentantes, não é? O Ministério da Saúde deixou claro que existem muitas questões a serem resolvidas a respeito deste assunto. O vírus foi relatado pela primeira em 1947 em Uganda em macacos, em humanos foi relatado em em 1952 e isolado somente em 1968 em nigerianos. Foram relatados mais casos ao longo dos anos, mas nada como agora em 2015, principalmente na região nordeste.

A doença tem período de incubação de 3 a 12 dias, sendo que 1 em cada 4 pessoas terão os sintomas, e as outras sozinhas serão curadas sem sentirem nada. Os sintomas reportados são dor de cabeça nas regiões laterais, olhos vermelhos, manchas na pele, dor no corpo e articulações, febre alta, e outros sintomas não tão frequentes como vômitos, diarreia, falta de apetite e dor abdominal. O tratamento é similar a dengue, com uso de paracetamol e alívio dos sintomas.

Hoje, a pergunta nas clínica de reprodução humana é constante: “- E o zika vírus, será que devemos fazer tratamento?” A preocupação é a relação do ZV com a gestação e o primeiro trimestre, principalmente da 8 a 18 semana de gestação aonde a produção dos neurônios é exponencial e as estruturas neurológicas estão sendo formadas.

A microcefalia pode ser causada por diversos fatores, desde o consumo de drogas, má nutrição, genética ou doenças como rubéola, toxoplasmose e citomegalovírus. Hoje sua associação com o ZV gira em torno de 10% dos casos de microcefalia, e estamos falando de aproximadamente 4.000 casos reportados no Brasil desde o surto.

O decisão do adiamento da gestação deve ser tomada pelo casal e a família, junto ao médico. Relacionar sempre a região aonde o casal mora, principalmente em áreas de surtos, e levando em consideração a idade da paciente. Existe a possibilidade da realização dos tratamento de reprodução com a criopreservação de embriões ou óvulos direta, afim de aguardar períodos mais brandos da infestação, sem diminuir as chances de gravidez. Tratamento indicado para mulheres com mais de 35 anos, já que a qualidade do óvulo cai com o aumento da idade.

Para pacientes grávidas, a importância da realização dos testes sorológicos, e dos cuidados. Portas e janelas com telas, uso de roupas com manga comprida e calça comprida, juntamente com o uso de repelentes, e sempre a orientação do médico obstetra.

A mobilização da população no Brasil está em andamento e hoje em muitas cidades já existem grupos de agentes de saúde agindo em prol do combate do mosquito vetor. Saiba como abaixo:

foto 2_305B

Não esqueça que os potes dos animais de estimação devem ser higienizados, com escova e sabão uma vez por semana.

Existe sempre a preocupação nas epidemias de qualquer doença, e com os cuidados certos e clareza do assunto podemos fazer nossas escolhas. O importante é sempre se cuidar.

 

 

 

Anúncios